• Ana Paquete

Bolo Rei


Meu doce português favorito, não passo o Natal e Dia dos Reis sem ele!

Um dos doces típicos do Natal Português é o Bolo Rei, um doce feito de uma massa branca e fofa misturada com frutas cristalizadas e frutos secos.


Antigamente, no interior do bolo, encontravam-se também uma fava seca e um pequeno brinde, normalmente feito de metal. Quem encontrasse uma fava na fatia que comesse, teria o dever de pagar o próximo bolo-rei, por outro lado se calhasse o brinde, a pessoa que o encontrasse seria brindada com "boa sorte".

Por motivos de segurança alimentar, a União Europeia, proibiu que o bolo fosse comercializado com estes artigos.


Por trás do bolo rei tem uma simbologia com cerca de 2000 anos de existência.

Diz a lenda que o bolo representa os presentes que os três Reis Magos deram ao Menino Jesus após o seu nascimento. A côdea simboliza o ouro; as frutas cristalizadas e os frutos secos, representam a mirra; e o aroma do bolo simboliza o incenso.


Apesar dos antigos registos históricos, os primeiros grandes vestígios deste doce de massa lêveda adornado com frutas cristalizadas surgiram em França, no século XVI, durante o reinado de D. Luís XIV. Com a chegada da revolução francesa, em 1789, o Bolo-Rei foi proibido devido à sua designação (algo que também viria a acontecer em Portugal), pelo que os pasteleiros decidiram mudar-lhe o nome para Gâteau dês Sans-culottes, de modo a poderem continuar a confecionar a doçaria.


Somente na segunda metade do século XVIII é que o Bolo-Rei foi importado para Portugal, inspirada na receita produzida no sul de Loire. Reza a história que a primeira casa que vendeu a iguaria foi a Confeitaria Nacional, em Lisboa, pelas mãos do famoso confeiteiro Gregório. Mais tarde, foram várias as pastelarias que adotaram a receita e passaram a comercializá-la.


Há outras histórias interessantes sobre o Bolo Rei que podem ser visualizadas nos sites: Mundo Português e Diário de Notícias.


O bom mesmo é apreciar o Bolo Rei.


A receita deste Bolo Rei é do Chef Paulo Cardoso da Padaria Portuguesa.

A única alteração que fiz, foi não colocar o doce de gila, não gostamos cá em casa.



BOLO REI


Ingredientes:

5g de raspas de laranja

65g de açúcar

330g de farinha de trigo

10g de fermento biológico seco

65g de margarina

10g de sal

1 ovo (50g)

20g de leite

20g de vinho do Porto

20g de sumo de laranja

60g de água

150g de Sultanas embebidas em vinho do Porto (uvas passas)

75g de frutos secos

145g de frutas cristalizadas

50g de geleia de pêssego


Modo de Preparo:

Sultanas:

Colocar num frasco as sultanas e deitar vinho do Porto até cobrir e reserve por 90 minutos.

Quanto mais tempo nesta conserva, melhor.


Bolo:

Antes de iniciar o preparo, pese todos dos ingredientes, inclusive os líquidos.


1. Num recipiente, misturar o açúcar e as raspas de laranja. De seguida adicionar a margarina, farinha e o sal. Misturar todos os ingredientes até ficar numa consistência arenosa. Acrescente o fermento e misture bem.

2. Adicionar os líquidos, comece leite, depois a água, o ovo, o sumo de laranja e por fim o vinho do Porto e misture novamente.

3. Polvilhe a bancada com farinha e trabalhe a massa, adicione um pouco de farinha até que a massa não agarre na bancada. Tape e deixe repousar por 90 minutos ou até duplicar o tamanho.

4. De seguida, coloque a massa numa batedeira e em velocidade baixa incorpore nas sultanas, frutas cristalizada e os frutos secos. Se preferir não utilizar a batedeira, faça este procedimento na bancada.

5. Assim que a massa estiver bem mistura, deixe repousar uns 15 minutos.

6. Enquanto isso, ligue o forne e 50ºC. Molde a massa, deixando-a redonda com um buraco ao centro.

7. Quando o forno atingir os 50ºC, desligue o forno e coloque o bolo para descansar por mais 60 minutos.

8. Passado este tempo, retire o bolo do forno, aumente a temperatura para 170ºC.

9. Pincele o bolo com ovo e e decore com mais frutas cristalizadas, se gostar. O mesmo com os frutos secos. Polvilhe algumas partes com açúcar em pó.

10. Leve o bolo a cozer durante 30 minutos a 170ºC.

11. Assim que sair pode pincelar com geleia diluída com um pouco de água para ganhar brilho.


Bom apetite!



Fontes:

As Nossas Voltas

CM Jornal



29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo